Carta para o Investidor – Julho/2024

Navegue pelo conteúdo:

Está precisando
de ajuda na hora
de investir?

Temos especialistas prontos para ajudar você!

Últimas no:

Resumo do Mercado Internacional e Brasileiro em Junho

A Nobel Capital preparou esta Carta para o Investidor abordando os resumos do mercado internacional e brasileiro do mês de junho.

  • Resumo do Mercado Internacional e Brasileiro em Junho
  • Mercado Internacional
  • Mercado Brasileiro
  • Índice

Mercado Internacional

Em junho, eventos políticos tiveram impactos significativos nos mercados globais. Na França, a convocação inesperada de novas eleições por Macron gerou aversão ao risco, com a ascensão de partidos populistas ameaçando a estabilidade fiscal e a relação com a União Europeia. Nos EUA, o desempenho fraco de Biden no primeiro debate eleitoral aumentou a possibilidade de sua substituição como candidato, elevando a chance de Trump retornar à Presidência. A inflação desacelerou nos EUA, indicando um possível pouso suave da economia, apesar de sinais de desaceleração no mercado de trabalho e no consumo.

O FED manteve uma postura cautelosa, aguardando mais dados antes de iniciar cortes de juros, que podem começar em setembro. Na Europa, o Banco Central Europeu iniciou cortes de juros, mesmo com a inflação ainda alta, especialmente nos serviços. A desaceleração econômica nos EUA criou um ambiente mais favorável para ativos de risco, beneficiando emergentes, apesar de desafios específicos como no México, onde mudanças governamentais podem manter juros altos.

Mercado Brasil

No Brasil, a economia segue firme, com um mercado de trabalho forte e crescimento do crédito. A recuperação no Rio Grande do Sul está mais rápida do que o previsto, levando a uma possível revisão positiva do PIB para 2024. No entanto, a inflação pode aumentar devido à depreciação cambial e incertezas políticas. A política fiscal continua pressionada por aumentos em despesas obrigatórias, limitando o espaço para investimentos.

O Banco Central deve manter a taxa de juros em 10,5% no segundo semestre de 2024, podendo aumentá-la se a inflação piorar. No mercado de juros e câmbio, os países desenvolvidos viram queda nas taxas de juros, enquanto o Brasil enfrentou depreciação do real e expectativa de alta de juros em 2024. No mercado de renda fixa, adotamos uma postura conservadora, com pequenas posições em ativos dos EUA e cautela nos mercados emergentes. No segmento de moedas, mantivemos a posição vendida no renminbi.

No mercado de ações, o Ibovespa subiu 1,5% em junho, mas caiu 7,7% no semestre. Globalmente, o S&P 500 e o Nasdaq registraram ganhos significativos, sustentados pela robustez da economia americana e revisões positivas de lucro corporativo, especialmente no setor de tecnologia.

Junho foi um mês de intensa atividade política e econômica, com desdobramentos significativos para os mercados globais e brasileiros, exigindo monitoramento contínuo e ajustes estratégicos.

Índice

Picture of Pedro Bativa

Pedro Bativa

Compartilhe nas mídias:

Facebook
Twitter
LinkedIn

Comente o que achou:

Se você ainda não tem conta na XP Investimentos, abra a sua!

WhatsApp RA(CTA)